Geral


Morre aos 90 anos o gaúcho Luiz Macedo, um dos maiores nomes da história da propaganda no Brasil

Natural de São Borja, publicitário era sobrinho do ex-presidente João Goulart e cofundador da agência MPM
12/10/2021 O Sul

Um dos pioneiros da moderna propaganda no Brasil, o publicitário gaúcho Luiz Macedo faleceu neste domingo (11), aos 90 anos, vítima de complicações de uma pneumonia em um hospital do Rio de Janeiro. Ele era sobrinho do ex-presidente João Goulart e um dos nomes na sigla MPM, maior agência do ramo no País nas décadas de 1970 e 1980.


O velório está marcado para a manhã desta terça-feira, com sepultamento no início da tarde no Cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul da capital fluminense. Macedo teve quatro filhos de seu casamento com Maria Amélia: Ana Amélia, Carlos Alberto, Maria Teresa e Ana Luiza. Ele deixa os netos André, João Gabriel, Livia, Isabela, Antonio, Ana Amélia e Felipe.


Natural de São Borja (Fronteira-Oeste), Luiz Vicente Goulart Macedo era filho de Eufrides Goulart, uma das seis irmãs do presidente João Goulart (1919-1976). Ele estudou no Ginásio Municipal de sua cidade e depois no Instituto Porto Alegre (IPA), antes de se formar em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).


Homem de propaganda


O envolvimento com a propaganda começou em 1952, como redator na filial porto-alegrense da agência Grant Advertising, na qual chegou a subgerente. Deixou o cargo cinco anos depois para fundar, com Petrônio Corrêa e Antônio Mafuz, a MPM Propaganda.


Em 1959, com a aquisição do acervo da Gulf do Brasil pela Petróleo Ipiranga, a MPM instalou uma unidade no Rio de Janeiro, a fim de desenvolver a comunicação da empresa de combustíveis. Transferido-se para a cidade Macedo passou a dirigir a nova operação da agência.


Líder associativo


Como representante da classe publicitária, integrou o grupo de trabalho nomeado pelo governo federal para implementar a televisão em cores no País, no começo da década de 1970.


Em 1972, presidiu a Comissão de Propaganda dos Festejos do Sesquicentenário da Independência do Brasil, nomeado pelo ditador Emílio Médici. Nesse mesmo ano, foi distinguido com o título de “Publicitário do Ano” pela Associação Brasileira de Propaganda (ABP). Em 1989, a entidade o destacaria como “Personalidade do Ano”.


Foi presidente da ABP de 1969 a 1971, além de comandar a Associação Brasileira Agências de Propaganda (Abap) entre 1974 e 1976. Em 1977, participou da Comissão Interassociativa da Publicidade Brasileira, que redigiu o Código Brasileiro de Auto-regulamentação Publicitária, base do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).


Em novembro de 1991, quando a MPM foi vendida para a Lintas:Brasil, Macedo e seus sócios integraram por oito meses o Conselho Administrativo da fusão MPM:Lintas. Em seguida, desligaram-se da empresa.


Após deixar a atividade publicitária, passou a se dedicar ao Jockey Club do Rio de Janeiro, como criador de cavalos e diretor – na juventude, ele havia atuado como locutor de turfe.



Deixar um comentário

MAIS NOTÍCIAS

FACEBOOK

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

nacional gas telefone 2

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS