Agricultura


Rodada de negociação sobre preço do tabaco na safra 2021/2022 acaba sem acordo

Apenas uma empresa apresentou proposta de reajuste acima do custo de produção apurado
22/12/2021 Portal ClicR

A primeira rodada de negociação de preço para o tabaco da safra 2021/2022 terminou de maneira frustrante para os fumicultores e seus representantes. Sete empresas fumageiras foram recebidas, de maneira individual, na sede da Afubra, em Santa Cruz do Sul/RS, nos dias 20 e 21 de dezembro.

A proposta de reajuste do preço, por parte da representação dos produtores, levou em consideração a variação do custo de produção, acrescido de 10 pontos percentuais para a rentabilidade do produtor e a sustentabilidade do setor (veja índices abaixo). Este percentual de acréscimo representa a perda que o produtor teve nas últimas safras. Apesar do custo de produção ter sido apurado de forma conjunta entre as entidades e cada fumageira, a negociação parou, novamente, num impasse.

Apenas uma empresa apresentou proposta de reajuste acima do custo de produção apurado. Uma não apresentou proposta e as demais não atingiram nem o percentual do custo de produção. “Isso causa uma grande frustração e insatisfação. Foi realizado todo um trabalho em conjunto de apuração do custo de produção para, na hora da negociação, a proposta não atingir nem esse percentual, ou não considerar uma rentabilidade para o fumicultor. Isso é inadmissível”, falam os representantes dos fumicultores.

A Comissão representativa mantém abertas as negociações, porém, alerta que estarão atentos ao que acontece no campo. “Estaremos acompanhando as compras e os preços que estão sendo praticados. Não queremos que ocorra igual à safra passada, com valorização somente no fim da safra. Os produtores precisam ser valorizados e considerados como parceiros, pois, cada vez mais, a cadeia produtiva do tabaco vem enfraquecendo”.

A Fetag-RS emitiu uma nota na tarde desta terça-feira (21), onde acusa as industrias de estimularem o desmonte do sistema integrado do tabaco.

Parte da nota diz o seguinte:

“A Fetag-RS e os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais consideram lamentável que as empresas, ao invés de valorizarem os produtores rurais, que são os seus principais parceiros, e reajustar os preços na tabela, optaram por pagar para os atravessadores, assim como fizeram no final da safra passada e já estão fazendo na atual. A atitude apenas contribui para o desmonte do sistema integrado, o que nos faz perguntar: é isso que as empresas querem?

O fumo brasileiro é um dos mais limpos, de melhor qualidade e um dos mais baratos do mundo. Enquanto em outros países concorrentes na exportação o valor é US$2,59, no tabaco brasileiro o valor é de US$1,97.

Dados publicados no último anuário do tabaco mostram que entre os anos de 2020 e 2021 a distribuição da receita bruta do setor subiu cerca de 40% para a indústrias, enquanto para os produtores o valor apresenta queda. Vale ressaltar que esses valores têm a concordância das empresas e que claramente o aumento nos lucros não foi repassado para os produtores”.

A comissão representativa dos produtores de tabaco é formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelas Federações da Agricultura (Farsul, Faesc e Faep) e dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

PROPOSTAS PARA A VARIEDADE VIRGÍNIA

JTI: Custo de Produção em conjunto (14,23%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta representantes: 24,23%

Proposta Empresa: 16%

BAT: Custo de Produção em conjunto (16,51%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta dos representantes: 26,51%

Proposta Empresa: 13,8%

China Brasil: Custo de Produção em conjunto (18,83%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta representantes: 28,83%

Proposta Empresa: 15%

UTC: Custo de Produção em conjunto (19,24%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta representantes: 29,24%

Empresa não apresentou proposta

Premium Tabacos: Custo de Produção em conjunto (18,56%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta representantes: 28,56%

Proposta Empresa: 13,28%

Alliance One: Custo de Produção em conjunto (28,43%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta Representantes: 38,43%

Proposta Empresa: 15%

CTA: Custo de Produção em conjunto (22,67%) + 10 pontos percentuais de sustentabilidade da atividade = proposta Representantes: 32,67%

Proposta Empresa: 15,3%


Deixar um comentário

MAIS NOTÍCIAS

FACEBOOK

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

nacional gas telefone 2

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS