Geral


Brasil é referência mundial na reciclagem de embalagens

Descarte adequado de 95% dos materiais garante campo limpo há duas décadas
22/06/2022 Portal ClicR

O Brasil é, atualmente, referência mundial quando o assunto é reciclagem de embalagens de pesticidas, com o reaproveitamento de 95% dos recipientes utilizados no país. Durante a reunião-almoço da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) realizada nesta terça-feira (21), o diretor-presidente do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), João Cásar Rando, destacou que todas as embalagens de defensivos agrícolas vendidos no país são recicladas, transformadas novamente em embalagem do mesmo produto ou incineradas em local apropriado.


“Ao longo de 20 anos, constituímos um programa de logística reversa que garante a destinação ambientalmente correta de embalagens vazias de defensivos agrícolas reconhecido mundialmente e que se tornou referência para outros setores,” disse o presidente.


João César explica que na França, por exemplo, o índice de reaproveitamento é de 77%; no Canadá e na Alemanha, de 73%, e no Japão, de 50%. “Nos Estados Unidos, país desenvolvido, com dimensões na agricultura parecidas com as do Brasil, esse índice é de 33%,” completou.


Presidente da FPA, o deputado Sérgio Souza (MDB-PR) destacou a importância da logística reversa para a preservação do meio ambiente. “O Brasil é o país que tem a agricultura mais sustentável do planeta. Temos que mostrar isso para os nossos brasileiros. É uma mudança do agricultor a favor da humanidade,” disse.


Segundo o Inpev, os dados que apontam o Brasil como referência nesta logística reversa, com reciclagem de embalagens de pesticidas, foram compilados com informações do retorno das embalagens de defensivos agrícolas de 60 países.


De março de 2002 a dezembro de 2021, a instituição superou a marca de 650 mil toneladas de embalagens vazias retiradas corretamente do campo – peso equivalente a 570 estátuas do Cristo Redentor no Rio de Janeiro. Desse total, apenas no ano passado, foram 53,6 mil toneladas.


A cadeia desenvolvida pelo Sistema Campo Limpo, programa instituído pelo Inpev, é referência em logística reversa e exemplo de aplicação do conceito de economia circular. Segundo João Cesar Rando, o Sistema possibilita que, de cada 100 embalagens vendidas, 93 retornem ao processo produtivo após seu uso no campo.


“Este processamento origina novas embalagens de agroquímicos, seguras e certificadas, além de outros artefatos aplicados em uma série de setores como no campo, na construção civil, na energia e na indústria automotiva”. O volume que não pode ser reciclado – cerca de 7% do total, segundo ele, – também é destinado de forma correta.


O deputado Alceu Moreira (MDB-RS) ressaltou o papel da Bancada em acompanhar de perto a questão da logística reversa. “Do ponto de vista ambiental, esse é um trabalho perfeito, nenhuma outra frente no mundo tem o grau de eficiência que temos aqui”, frisou.


Além do impacto positivo que a existência do programa gera ao meio ambiente, João Cesar Rando ressaltou ainda que foram mais de 899 mil toneladas de CO2 que deixaram de ser emitidas para a atmosfera entre 2002 e 2021 – capturado por 6,5 milhões de árvores. E, uma economia de energia elétrica suficiente para abastecer 5,2 milhões de residências durante um ano.


O Sistema Campo Limpo reúne a indústria fabricante, o canal de distribuição, os agricultores e o poder público. Cada um desses elos tem seu papel e sua responsabilidade definidas por Lei para promover a logística reversa e dar destinação ambientalmente adequada às embalagens de defensivos agrícolas.


A Lei 9.974/2000 regulamentou o destino das embalagens, criando atribuições e responsabilidades para indústrias, produtores e distribuidores. Esse resultado ganha relevância especialmente quando a Comissão de Agricultura (CRA), no Senado, promove duas audiências públicas interativas nesta quarta (22) e quinta-feira (23) para debater o substitutivo da Câmara ao projeto que moderniza o uso e produção de pesticidas no Brasil (PL 1.459/2022).


O Sistema está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, somando 411 unidades fixas (postos e centrais de recebimento), além de recebimentos itinerantes que garantem a proximidade com produtores rurais que vivem em locais mais distantes das unidades.



Deixar um comentário

MAIS NOTÍCIAS

FACEBOOK

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

nacional gas telefone 2brechoeletrica tyskadj arAline Rosiak

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS