Saúde e Bem Estar


Ministério da Agricultura identifica mais dez lotes de cervejas Backer contaminados

Até o momento, o órgão encontrou etilenoglicol ou dietilenoglicol em 41 lotes e dez rótulos da cervejaria. Número de casos suspeitos subiu para 28.
29/01/2020 G1

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou na tarde desta terça-feira (28) que dez novos lotes de cervejas da Backer estão contaminados. Com a atualização, as substâncias etilenoglicol ou dietilenoglicol já foram encontradas em 41 lotes de cervejas, e em dez rótulos.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas, o número de casos investigados subiu para 28. 21 casos suspeitos são de Belo Horizonte e os demais foram registrados nas cidades de Capelinha, Nova Lima, Pompéu, São João Del Rei, São Lourenço, Ubá e Viçosa.

O Mapa continua testando amostras de cervejas da Backer recolhidas. A empresa permanece fechada e os produtos somente serão liberados para comercialização após análise e aprovação do órgão.

Os rótulos contaminados são:

  • Belorizontina
  • Backer Pilsen
  • Backer Trigo
  • Brown
  • Backer D2
  • Capixaba
  • Capitão Senra
  • Corleone
  • Fargo 46
  • Pele Vermelha.


Em nota, a Backer informou que continua colaborando com as autoridades e que a substância dietilenoglicol não faz parte de nenhuma etapa do processo de fabricação de seus produtos.

Produção paralisada

Nesta manhã, a Backer anunciou a suspensão temporária das atividades do Templo Cervejeiro, um complexo de restaurante e loja da cervejaria, localizado no bairro Olhos D'Água, em Belo Horizonte.

A morte de uma pessoa já foi confirmada e outras três estão sendo investigadas. Até o momento, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais acompanha outros 24 pacientes com suspeita da doença.


Deixar um comentário

MAIS NOTÍCIAS

FACEBOOK

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS